Da desigualdade






Mãos semeadoras
Nem sempre colhem.
Amargo fruto

Nenhum comentário:

Postar um comentário